Explorai!

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Poesia - Mais Uma Noite Com a Morte

Beijar lentamente o pescoço da Morte,
Após obter de seus dentes belo corte;
Faz-me delirar em vívida fantasmagoria,
Fantasiando males de abissal categoria.


Onde estáveis Vós, minha Vampírica Majestade?
Que suga a sagrada vida tão docemente.
Donde vos retiráveis Vós qual forte tempestade?
Que destrói a vida em vil furor demente.


Acariciar e morder a gélida pele da Morte,
Após ter meu sangue drenado com belo corte;
Faz-me delirar em oníricas dores de euforia,
Com prazer que nenhum mortal pressuporia.


Onde estáveis Vós, oh Vampírica Suavidade?
Que suga a seiva da sagrada árvore da vida.
Deixáveis em meu coração cósmica ferida,
Quando partiu desconsiderando minha'finidade.


Mais uma longa e intensa noite com a Morte,
Era a minha Verdadeira Vontade;
Agora que morri para o mundo com Sorte,
Eu, vossa metade, hei de vagar sem idade.