Explorai!

domingo, 11 de setembro de 2011

Poesia - Um Olhar Para o Abismo

Quando olhei fixamente para o abismo,
Vislumbrei uma sucessão de horrores.
Entretanto, perdi-me em seu erotismo,
Mergulhando num mar de vis cores.


Passei a freqüentar a mesma dimensão,
Perdendo a noção do tempo e do espaço.
Então, de repente, envolto nesta escuridão,
Aliviou-me a alma um desconhecido abraço.


Um anjo, mulher de natureza inefável,
Conquistou legiões de criaturas abissais.
Resgatou-me das garras do inominável,
E mostrou-me, que em mim residia tais animais.

Erich William von Tellerstein.

Nenhum comentário: